Porque é que a Vitamina D é Essencial?

Porque é que a Vitamina D é Essencial

 

Certamente já ouviu falar da importância da Vitamina D, também conhecida como “vitamina do sol”. Para além dos seus benefícios para a saúde óssea, esta vitamina é muito útil na absorção do cálcio e prevenção de osteoporose, entre outros.

A Dieta3Passos® explica-lhe tudo o que precisa de saber sobre ela.

Porque é que a vitamina D é tão importante?

  • Contribui para o crescimento e desenvolvimento normal dos ossos e dentes, previne fraturas ósseas e diminui o risco de osteoporose e ainda de cáries dentárias e periodontite;
  • Reduz o risco de doenças cardiovasculares e é benéfica em doenças como a diabetes tipo 2 e a esclerose múltipla;”Facilita o normal funcionamento do sistema imunitário e melhora a resistência a certas doenças;
  • Tem um papel importante na regulação do humor;
  • Favorece a perda de peso;
  • Na gravidez, reduz risco de pré-eclampsia.

Podemos obtê-la através da exposição à luz solar?

Sim, uma vez que a  vitamina D é produzida através da exposição direta à luz do sol. Porém, é importante sublinhar que a sua absorção depende de alguns fatores: a hora do dia, a zona do globo em que se encontra (sendo que latitudes mais a perto do equador e maiores altitudes têm mais radiação solar disponível) , a quantidade de pele exposta ao sol e a cor da pele.. As boas notícias: cerca de 20 minutos por dia de exposição à luz do sol, ajudam a produzir vitamina D.

Vitamina D nos alimentos

Pode também obtê-la através do consumo de alimentos, tais como:

  • Peixes gordos: arenque, atum, cavala, salmão, sarda, sardinha;
  • Óleo de fígado de bacalhau;
  • Fígado bovino;
  • Gema de ovo;
  • Cereais de pequeno-almoço, leite, bebidas vegetais de soja, de amêndoa, de aveia.

Ainda assim, as fontes alimentares nem sempre são suficientes para atingir as doses diárias recomendadas de vitamina D, pelo que a suplementação pode ter aqui um contributo significativo.

Risco de deficiência 

Têm maior risco de deficiência de vitamina D pessoas:

  • Com pouca exposição diária à luz solar;
  • De pele mais escura. Peles mais claras conseguem sintetizar mais vitamina D do que as de pigmentação mais escura;
  • Com obesidade (IMC ≥ 30 );
  • Problemas hepáticos, renais ou síndromes de má absorção intestinal;
  • Idade superior a 65 anos.

Como saber se tem a quantidade de vitamina D adequada?

Caso suspeite que poderá ter alguma deficiência desta vitamina, aconselhe-se com o seu profissional de saúde sobre qual a melhor solução e a melhor abordagem. A avaliação da situação poderá incluir desde análises sanguíneas, caso seja necessário, sobre os níveis de vitamina e minerais, uma reeducação alimentar e suplementação adequada. No adulto, considera-se insuficiência de vitamina D uma concentração de 25-hidroxivitamina D (25(OH)D) entre 20-30ng/ml no sangue e deficiência um valor inferior a 20ng/ml.

Suplementos: porquê?

Segundo vários estudos desenvolvidos, sabe-se que cerca de 78% dos portugueses tem deficiência em vitamina D*, número esse que terá tendência a aumentar com o isolamento imposto pela atual pandemia por COVID-19, que poderá levar à diminuição da exposição à luz do sol. Como nem sempre a alimentação é suficiente para garantir o aporte adequando de vitamina D (processo de confeção dos alimentos, stresse e ritmo frenético do dia-a-dia, consumo insuficiente das suas principais fontes, pouca exposição solar, etc.), a suplementação pode ser a chave para garantir o equilíbrio do seu organismo e a manutenção dos níveis normais desta vitamina.

*Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS) e do Centro Hospitalar e Universitário do Porto-Hospital de Santo António (CHUP HSA), Journal of Steroid Biochemistry and Molecular Biology (2016).

Se tem dúvidas sobre este tema, poderá sempre contar com o apoio dos Nutricionistas Dieta3Passos.