3 Formas de Ultrapassar a fome emocional

Independentemente de se é aquela refeição que lhe lembra a casa da sua avó ou o chocolate que sente necessidade de comer depois de um dia mau, os alimentos têm um grande poder pois estão interligados a emoções e memórias.

Contudo, o conceito de “fome emocional” está também associado à ingestão de alimentos na ausência de fome física, como uma forma de atenuar emoções negativas. Se não tiver a habilidade de processar os seus próprios sentimentos, existe uma maior tendência para compensar esta questão com a comida, levando assim ao excesso alimentar e, consequentemente, aumento de peso.

Uma boa forma de começar a perceber se sofre de fome emocional é conhecer-se a si próprio e perceber se o seu estado de espírito está a afetar os seus hábitos alimentares. Aqui tem 3 passos que podem ajudar:

 

1. Identifique o que desencadeia os seus momentos de fome emocional

Tente perceber o que está a sentir, sem se julgar a si mesmo. Pergunte a si mesmo o que está a causar este momento de “fome” repentino: é ansiedade, stress ou aborrecimento? Está a sentir-se sozinho ou deprimido? Teve um dia particularmente difícil?

Se sabe aquilo que desencadeia a sua fome emocional, será muito mais fácil preveni-la. Por exemplo, se o facto de se sentir sozinho é um fator, considere ligar a um amigo ou familiar. Se é a ansiedade ou o stress, procure outras formas de controlar esta questão, como o yoga ou a meditação.

Acima de tudo, é importante que seja compreensivo consigo mesmo e que perceba que a comida não vai necessariamente ajudá-lo a ultrapassar o que está a sentir.

 

2. Fortaleça a sua forma de lidar com a fome emocional

Uma vez que consiga determinar o que desencadeia os seus momentos de descontrolo alimentar, é importante perceber como reagir perante esses momentos.

Se a comida é o único mecanismo que utiliza para lidar com momentos de descontrolo emocional, talvez seja interessante experimentar outras opções: descubra um novo hobbie, pratique exercício físico, passe mais tempo na natureza (praia ou campo), converse com os amigos ou a família, faça meditação ou guarde algum tempo para ouvir aquele álbum que tanto gosta ou ver um filme.

Somos todos diferentes e uma abordagem eficaz com uma pessoa não será necessariamente eficaz com outra. Procure aquela que funciona consigo e utilize-a sempre que sentir que está prestes a cair na tentação.

 

3. Coma com gosto!

Com a tecnologia e as distrações de hoje em dia, é difícil conseguir efetivamente desfrutar em pleno de uma refeição. Por isso, desligue o telemóvel, desligue a televisão, sente-se à mesa e desfrute da sua refeição em conjunto com a sua família e amigos. Mastigue com calma e saboreie os alimentos. A hora da refeição deve ser não só um momento tranquilo como também agradável.

Desfrute do seu prato e verá que os momentos de compulsão alimentar e fome emocional irão tornar-se raros!