Vinho na Dieta: Sim ou Não?

Vinho na Dieta Sim ou Não

Pode ou não incluir um copo de vinho na Dieta?

Algumas pessoas sentem falta de umas batatas fritas estaladiças, outras salivam pela sobremesa que sabem que devem evitar… Contudo, quase todas têm um desejo em comum: anseiam pelo momento em que irão voltar a poder beber um bom copo de vinho. Normalmente, o vinho é escolhido com base no seu sabor, textura e aroma. Porém, não podemos ignorar o seu valor calórico.

Logo quem pretende emagrecer, deve ou não beber vinho? A Dieta3Passos esclarece.

O álcool engorda? Porquê?

Tudo o que ingere (à exceção da água) tem um valor energético associado, normalmente contabilizado através de calorias (kcal). O álcool tem 7kcal/g, pelo que, quanto maior for o teor alcoólico de uma bebida, mais calorias esta irá ter. Se a esta for acrescentado açúcar (sob a sua forma pura ou através de refrigerantes) ou fruta, aumenta ainda mais o seu valor energético.

Deste modo, ao comparar um copo de vinho com um de cerveja, o vinho apresenta mais calorias, visto que tem um teor alcoólico mais elevado. Contudo, se esta comparação for feita com uma bebida branca (como a vodka ou o gin) ou um cocktail (bebida branca + refrigerante/açúcar/fruta), o vinho já ganha o título de menos calórico.

E qual é o vinho mais aconselhado?

No que diz respeito ao vinho, a pergunta é sempre a mesma: branco ou tinto?

Para produzir vinho branco, a pele e sementes das uvas são retiradas antes da fermentação. Isto confere um sabor mais adocicado ao vinho, por não conter taninos, substâncias antioxidantes presentes, principalmente, na casca e sementes. Já o vinho tinto é produzido com as uvas inteiras, ou seja, com a pele e sementes. Por esta razão, este tipo de vinho é particularmente rico em antioxidantes, trazendo, por isso, vários benefícios para a saúde, como por exemplo:

  • Reduzir o risco de doenças cardiovasculares;
  • Retardar a deterioração mental associada ao envelhecimento;
  • Ajudar no controlo da glicemia;
  • Combater o envelhecimento precoce da pele.

Por essa razão, o vinho tinto ganha aos restantes quanto a benefícios para a saúde. No que diz respeito a calorias, a balança está muito equilibrada: as diferenças no teor de álcool e calorias são muito pequenas. Assim, se beber vinho, opte pelo que mais gosta, uma vez que o impacto no seu peso vai ser semelhante.

Com conta, peso e medida

É comum os nutricionistas dizerem que as “calorias líquidas” devem ser evitadas e este é um ótimo exemplo disso. Assim, devido ao seu elevado valor calórico, o vinho não é uma opção adequada num plano de emagrecimento. Contudo, se o seu objetivo não é o emagrecimento, mas sim a manutenção de peso, o vinho pode ser incluído, desde que seja com moderação.

 

Para todas as suas dúvidas, conte com os Nutricionistas Dieta3Passos