Óleo de Coco: Saudável ou Não?

O óleo de coco está na moda, mas será que apresenta benefícios para a saúde?

Nos últimos anos, o óleo de coco ganhou bastante popularidade, contudo, ainda não há consenso científico relativamente a esta gordura. Os Nutricionistas Dieta3Passos ajudam a esclarecer algumas questões.

O óleo de coco contém menos ácidos gordos?

Mito.
Quanto às suas propriedades nutricionais, cada 100g de óleo de coco contém 86g de ácidos gordos saturados (como o ácido laúrico), o que corresponde a cerca de 50% a mais de gordura saturada do que a manteiga (46,3g), banha (39g) e 80% a mais do que o azeite (14,4g). Apesar de ser uma gordura vegetal, é a que mais contém ácidos gordos saturados.
De acordo com a American Heart Association, a utilização de óleo de coco não deve ultrapassar as recomendações diárias do consumo de gordura saturada, o que corresponde a menos de 10% do valor calórico total diário.

O óleo de coco emagrece?

Mito.
Apesar de aumentar a saciedade, ao tornar os processos de digestão mais lentos, o óleo de coco sozinho não tem qualquer impacto ao nível do emagrecimento. Sendo uma gordura como todas as outras, possui um elevado valor calórico, não demostrando qualquer benefício ao nível do emagrecimento. São necessários mais estudos clínicos a médio e longo prazo de modo a se identificar qual o impacto deste produto alimentar na composição corporal.

O óleo de coco ajuda a melhorar a obstipação?

Verdade.
Os alimentos que possuem gordura normalmente auxiliam em casos de trânsito intestinal irregular, uma vez que a gordura vai facilitar passagem dos alimentos pelo intestino. O ácido láurico (ácido gordo presente no óleo de coco), parece conter propriedades que promovem o bom funcionamento da flora intestinal.

O óleo de coco pode ser consumido por qualquer pessoa?

Mito.
Pessoas com problemas cardiovasculares, hipercolesterolemia, diabetes e síndrome metabólica devem ter muita moderação na utilização de alimentos ricos em gordura saturada, como é o caso do óleo de coco.

O óleo de coco pode substituir o azeite?

Mito.
O óleo de coco não deve substituir o consumo de azeite. Ao contrário do que acontece com o óleo de coco, há uma série de estudos com o azeite que revelam o seu papel cardioprotector.
Contudo, o óleo de coco pode ser uma boa opção para cozinhar a elevadas temperaturas sem que ocorra oxidação, devido ao seu elevado ponto de ebulição.

Assim, o óleo de coco pode ser introduzido na alimentação, mas com bom senso e sempre inserido num contexto de alimentação e estilo vida saudável. Este não deve ser utilizado como substituto do azeite uma vez que nutricionalmente não é tão interessante, apresentando maior teor de gordura saturada, que se relaciona com maior risco cardiovascular.