Afinal, os Hidratos de Carbono viciam?

 

Os hidratos de carbono são essenciais para o normal funcionamento do organismo e são a nossa principal fonte de energia, devendo fazer parte de uma dieta saudável e equilibrada.

Contudo, os hidratos de carbono não são todos iguais nem têm o mesmo significado no nosso organismo.

Quer saber as diferenças? A Dieta3Passos dá uma ajuda!

O que são hidratos de carbono?

São um dos 3 macronutrientes a par das proteínas e gordura, e têm como função fornecer energia ao organismo.

Podem ser divididos em 2 grupos: os açúcares simples, de absorção rápida e os complexos, de absorção lenta.

Hidratos de carbono de absorção rápida

Também chamados de hidratos de carbono “simples”, são rapidamente absorvidos e digeridos pelo organismo, dando pouca sensação de saciedade. Este grupo de hidratos de carbono está presente nos alimentos refinados e processados, devendo ser sempre a última escolha. Estão frequentemente presentes em alimentos como bolos, bolachas e chocolates, no açúcar propriamente dito e em refrigerantes.

Hidratos de carbono de absorção lenta

Estes hidratos de carbono também são conhecidos como “complexos” e são absorvidos mais lentamente. Criam assim uma sensação de saciedade mais rápida e prolongada.  Encontram-se sob a forma de amido e podemos encontrar em alimentos de origem vegetal como os cereais, batata, arroz e massa e ainda nas leguminosas secas.

Dentro deste tipo de hidratos podemos ainda incluir as fibras, que são parte dos alimentos de origem vegetal não digeridas nem absorvidas, no entanto são vitais para o bom funcionamento do organismo. Estão sobretudo presentes em alimentos como o pão “escuro”, cereais integrais, frutas e verduras.

Os hidratos de carbono viciam?

Cada vez têm sido feitos mais estudos de modo a perceber se a ingestão de alimentos ricos em hidratos de carbono, principalmente açúcar, têm alguma influência a nível de dependência.

Para conseguirmos explicar melhor, vale a pena perceber como os hidratos de carbono atuam no nosso cérebro. A ingestão de alimentos processados ou de hidratos de carbono simples aumenta os níveis das chamadas “hormonas de bem-estar”, como a serotonina e a dopamina. Contudo, este aumento é rápido, pelo que as sensações agradáveis associadas a estas hormonas também são breves Assim, quando esta sensação de “euforia” termina, pode sentir-se mais ansioso e o cérebro volta a pedir novamente açúcar.

Certamente já procurou alívio e prazer neste tipo de alimentos uma vez que podem ser facilitadores neste sentido. No entanto, é importante perceber o que leva a este tipo de situação. A alimentação não pode ser usada como escape, mas sim para promover saúde. É importante alterar hábitos alimentares e estilo de vida, sobretudo ao nível do consumo de açúcar e de alimentos processados.

Assim, não se pode dizer que os hidratos de carbono viciem. Parecem ser uma opção aliciante perante uma situação de ansiedade ou de tristeza, mas não são a solução. Procure, em primeiro lugar, identificar o que pode estar a sentir nestes momentos, de modo a perceber quais os gatilhos que podem provocar ingestão aumentada deste tipo de alimentos. Depois, procure alternativas que goste de fazer (distrair-se, fazer uma caminhada, …) para quando esses momentos surgirem. Fisiologicamente a alimentação é uma fonte de prazer e conforto, mas não deve ser a única.

Em relação aos hidratos de carbono, o segredo está em saber dosear. Numa dieta saudável é importante reduzir a quantidade de hidratos de carbono que ingerimos sob a forma de açúcar simples, tentado optar por alimentos com maior teor de amido e fibras como as frutas e vegetais.”

Os hidratos de carbono, quando bem escolhidos, podem não ser o “vilão” que muitas vezes se pensa, mas sim um auxílio quando estamos numa situação de emagrecimento!